Encefalomielite Aviária

A Encefalomielite Aviária é uma doença viral que ataca o sistema nervoso central de galinhas, faisões, perus e outras aves. Ela está presente em todo o mundo e possui uma alta taxa de mortalidade. A transmissão vertical é muito importante, ou seja, a galinha é capaz de passar a doença para seus pintinhos. A via de infecção é transovariana, com um período de incubação de 1 a 7 dias. Também ocorre a transmissão lateral, ou seja, um frango infectado pode transmitir para outros, provavelmente por via oral, com incubação do vírus por 10 dias. Vírus nas fezes podem sobreviver por 4 semanas ou mais, tornando esta resistente doença das galinhas.

Encefalomielite Aviária

Para diagnosticar a doença podem ser usados o teste de neutralização do vírus, teste da imunodifusão em gel de agar, testes de susceptibilidade do embrião e, mais recentemente, o teste ELISA. Todos os testes mostram a presença de anticorpos e indicam se a ave foi exposta à doença e não necessariamente se ela está infectada atualmente. O diagnóstico pode ser confirmado por qualquer histopatologia, isolamento do vírus ou pela presença de lesões cerebrais. As doenças de Newcastle e Marek devem ser levadas em consideração no diagnóstico diferencial desta doença.

Sintomas da encefalomielite aviária

A doença provoca uma série de sinais neurológicos em galinhas com menos de três semanas. Os sinais variam de problemas na coordenação muscular, tremor rápido da cabeça e pescoço, asas caídas, fraqueza, paralisia, cansaço, cegueira e alterações na vocalização. Ela também provoca a perda de peso e dor.

Pintinhos afetados irão ficar “sentados nos joelhos”, não conseguindo se movimentar e vindo a cair de lado. A mortalidade pode ser muito elevada, chegando até a 25%. Os pintinhos mais velhos mostram menos sinais neurológicos, e as galinhas poedeiras terão uma redução temporária, cerca de 2 semanas, na produção de ovos, diminuindo também as fezes.

Tratamento da encefalomielite aviária

Não existe tratamento para a doença, sendo recomendado que se faça a vacinação das aves reprodutoras entre 9 e 15 semanas. A imunidade normalmente será longa.

Prevenindo a encefalomielite aviária

As principais fontes de infecção na transmissão horizontal, ou seja, de uma ave para outra, são os alimentos, a água, a cama, os calçados e qualquer equipamento utilizado no manejo da granja, que contenha fezes contaminadas. A transmissão é muito rápida entre as aves. Isso torna muito importante a adoção de medidas de biosseguridade, visando a prevenção da doença.

Você gostou? ⤵ A sua opinião é muito importante!
Total: 0 votos - Média: 0 estrelas

Saiba os segredos para criar aves!

Coloque seu melhor email para receber gratuitamente as melhores dicas e informações sobre o seu pássaro favorito!